Essas aranhas imobilizam cobras centenas de vezes o seu tamanho.

Essas aranhas imobilizam cobras centenas de vezes o seu tamanho.

23 de junho de 2021 Off Por dekster

Crédito da imagem: Hunter Valley de Paul e Bernadette Gibbs.

 

Um novo estudo descobriu que aranhas venenosas atacam cobras cerca de cem vezes o seu tamanho – e muitas vezes saem vitoriosas contra cobras tão venenosas quanto elas.

Os pesquisadores do estudo encontraram 319 registros de aranhas matando e se alimentando de cobras , 297 dos quais ocorreram  na natureza. (Os 22 restantes foram encenados em cativeiro.) Cerca de um terço desses exemplos vieram de observações científicas publicadas em periódicos, enquanto o restante foi encontrado em sites de notícias ou mídia social.

“Quanto mais tempo eu lido com esse problema, mais eu percebo que certas aranhas realizam feitos tão incríveis”, disse o coautor do estudo Martin Nyffeller, um biólogo conservacionista da Universidade de Base que já relatou sobre aranhas que comem morcegos e outros vertebrados.

 

Os pesquisadores encontraram evidências de aranhas atacando 86 espécies diferentes de cobras, sendo as cobras da família colubrida as vítimas mais comuns. Esta família inclui espécies comuns, como cobras-liga ( Thamnophis cyrtopsis ) e cobras-rato ( Pantherophis guttatus ), e sua prevalência entre as vítimas de aranhas provavelmente reflete o fato de que elas são a família de cobras mais abundante em todos os continentes, exceto Austrália, Nyffeler e Gibbons escreveram.

A maioria das cobras atacadas por aranhas eram bebês ou juvenis com peso inferior a um grama. As maiores vítimas tinham até 100 centímetros de comprimento e pesavam vários gramas. Cobras tão grandes eram normalmente mortas por tecelões de orbes ou grandes tarântulas. As viúvas negras podiam superar cobras até 30 vezes seu próprio tamanho em peso e, em um relatório, uma aranha teia  ( Steatoda triangulosa ) imobilizou uma cobra liga de 15 cm de comprimento que tinha 355 vezes o peso da aranha.

© 2021, Esfera Ciência . Todos os direitos reservados. É permitida a copia da matéria desde que o link do artigo seja citado.