Reversão geomagnética ligada à extinção em massa.

Reversão geomagnética ligada à extinção em massa.

22 de fevereiro de 2021 Off Por dekster

Imagem mostrando os campos magnéticos do sol em 1 de janeiro de 1997, 1  junho de 2003 e 1 de dezembro de 2013. Verde indica polaridade positiva. Roxo é negativo. Credito da imagem : The Sun Today.

 

Os cientistas acreditam que uma reversão histórica do campo magnético da Terra pode ter se mostrado catastrófica.

A orientação atual do campo magnético do nosso planeta é algo que tendemos a dar como certa, no entanto, de vez em quando, os pólos da Terra realizam uma reversão total, o que significa que em algum ponto no futuro podemos esperar que a mesma coisa aconteça novamente.

Mas qual foi o impacto da vida na Terra da última vez que isso aconteceu?

De acordo com uma nova pesquisa, quando o campo magnético da Terra girou cerca de 42.000 anos atrás, causou tanta destruição ambiental que poderia explicar o desaparecimento de grande parte da megafauna do planeta, bem como dos neandertais – nossos parentes vivos mais próximos naquela época.

Embora estudos anteriores tenham sugerido que esse evento – conhecido como excursão de Laschamps – teve pouco impacto na vida, os cientistas agora acreditam que o oposto é mais provável de ser verdade.

A pesquisa envolveu a realização de análises de radiocarbono de antigas árvores Kauri (que datam de até 42.000 anos) que foram encontradas preservadas nos pântanos do norte da Nova Zelândia.

Ao cruzar suas descobertas com outros dados científicos, como os obtidos de amostras de gelo, eles foram capazes de identificar um período de significativa agitação ambiental em todo o mundo.

“Vemos este enorme crescimento da camada de gelo sobre a América do Norte … vemos cinturões de chuva tropical no Pacífico oeste mudando dramaticamente naquele ponto, e também cinturões de vento no oceano meridional e um ressecamento na Austrália”, os pesquisadores escreveram.

Dito isso, nem todos os cientistas concordam com as conclusões do estudo.

“Eu acho que certamente poderia ter contribuído para o fim [dos neandertais]”, disse Chris Stringer, do Museu de História Natural de Londres.

“Mas eles sobreviveram por mais tempo e se espalharam mais do que apenas na Europa, e temos uma definição muito pobre sobre o momento de seu desaparecimento final em partes da Ásia.”

 

 

© 2021, Esfera Ciência . Todos os direitos reservados. É permitida a copia da matéria desde que o link do artigo seja citado.