A incrível história de uma mulher que preservou mais de 30 anos de história da TV.

A incrível história de uma mulher que preservou mais de 30 anos de história da TV.

21 de novembro de 2020 Off Por dekster

Projeto Marion Stokes. Fotografia: Eileen Emond.

Cerca de 71.000 (Setenta e um mil) rolos de fitas cassetes VHS E BETAMAX estão guardados em caixas, empilhados 50 por palete nas instalações de armazenamento físico do Internet Archive em Richmond, Califórnia, à espera de serem digitalizados. As fitas não estão em ordem cronológica, ou realmente em nenhuma ordem.  Gravadas pela primeira vez na casa de Marion Stokes no Barclay Condominiums em Rittenhouse Square na Filadélfia, as fitas foram distribuídas entre nove apartamentos adicionais que ela comprou apenas para fins de armazenamento durante sua vida. Mais tarde, eles passaram para seus filhos, para o armazenamento e, finalmente, para o arquivo da Califórnia.

Embora ninguém soubesse na época, as gravações que Stokes fez de 1975 até sua morte em 2012 são a única coleção abrangente que preserva este período na história da mídia televisiva.

Em 1975, Stokes comprou um gravador magnético Betamax e começou a gravar trechos de de programas, documentários científicos e cobertura de notícias políticas. Desde o início da Crise de Reféns do Irã em 4 de novembro de 1979, “ela bateu recorde e nunca parou”, disse seu filho Michael Metelits em Recorder: The Marion Stokes Project – Gravadora: O projeto de Marion Strokes, em tradução livre. Um documentário recém-lançado sobre sua mãe e o projeto de arquivo que se tornou o trabalho de sua vida.

“Ela estava interessada em acessar informações, documentar a mídia, garantir que as pessoas tivessem as informações de que precisavam para tomar boas decisões”, diz o diretor do filme, Matt Wolf.

O ano de 1980 trouxe o lançamento da CNN, e o ciclo de notícias 24 horas. Logo, três, quatro, cinco e às vezes até oito fitas estavam girando ao mesmo tempo no apartamento de Stokes, gravando noticiários, comerciais e tudo o mais em várias redes. Embora muitas pessoas presumissem que as redes de televisão mantinham tudo que transmitiam, esse não foi o caso. Os estúdios estavam constantemente apagando e reciclando as fitas de transmissão para economizar dinheiro e liberar espaço de armazenamento.

Um dos apartamentos contendo a vasta coleção de Marion Stokes.

 

Referência: Internet Archive Blogs.

 

 

© 2020, Esfera Ciência . Todos os direitos reservados. É permitida a copia da matéria desde que o link do artigo seja citado.