10 principais alegações de fraude da Apollo 11.

10 principais alegações de fraude da Apollo 11.

17 de agosto de 2020 0 Por dekster

Photo by youtuber: Brainwave Music.

Aterrissar humanos na lua foi uma façanha monumentalmente improvável. Os céticos afirmam ter evidências fotográficas provando que a coisa toda foi filmada em um estúdio.

 

Cético:

A bandeira parece estar balançando ao vento, o que é impossível sem uma atmosfera. Alguns dos chamados cientistas da Nasa deveriam ter feito seu dever de casa um pouco melhor.

Crente: A bandeira não precisava do vento para se mover e não se move em nenhum dos vídeos a menos que seja tocada. Quando é posta em movimento, a falta de atmosfera e, consequentemente, a resistência do ar fazem com que a bandeira demore muito a se fixar.

Fotografia: Nasa

Cético:

As sombras dos objetos na superfície apontam em direções diferentes, o que prova que havia várias fontes de luz – como em um estúdio de TV.

Crente: Um sol baixo e uma superfície irregular podem distorcer os ângulos das sombras nas imagens. E se houver várias fontes de luz, por que cada objeto projeta apenas uma sombra?

Fotografia: Nasa

Cético:

Uma terceira pessoa teria que estar lá com uma câmera para tirar fotos de astronautas chegando na lua e decolando novamente. Eles devem pensar que somos estúpidos!

Crente: A filmagem do pequeno passo de Neil Armstrong foi filmada por uma câmera montada do lado de fora do módulo de pouso da Eagle. Fotos do primeiro passo de Armstrong tiradas da superfície da lua são, na verdade, Buzz Aldrin descendo a escada, tiradas por Armstrong. Câmeras remotas deixadas na lua poderiam facilmente registrar a partida de módulos lunares.

Fotografia: Nasa

Cético:

Se os astronautas da Apollo tivessem realmente viajado para a lua, eles teriam sido cozidos por um cinturão gigante de radiação espacial letal. 

Crente: esses ‘cinturões de Van Allen’, onde o campo magnético da Terra concentra a radiação solar, seriam perigosos apenas se as pessoas permanecessem lá por vários dias. Na verdade, os astronautas passaram zunindo em questão de horas, recebendo uma dose de radiação não maior do que um raio-X médico.

Fotografia: Nasa

Cético:

Uma rocha lunar fotografada durante a missão da Apollo 16 está marcada com a letra C. É um adereço, que mostra que a coisa toda foi encenada. 

Crente: O C não aparece nos negativos ou impressões originais da Nasa. Sob ampliação próxima, parece um fio de cabelo ou fibra que contaminou uma reprodução posterior.

Fotografia: Nasa

Cético:

As botas só teriam deixado sua marca na superfície lunar em material úmido. Tente deixar sua pegada em uma praia de areia seca. 

Crente: As partículas de poeira lunar têm um tamanho e formato diferentes da areia e não precisam de umidade para manter uma forma comprimida. Muitos pós na Terra podem se comportar da mesma maneira. Experimente andar em pó de talco derramado.

Fotografia: Nasa

Cético:

Não havia chama de exaustão jorrando de baixo do módulo lunar quando ele decolou da lua. É claramente um modelo sendo puxado por um fio.

Crente: o foguete Saturn V que transportou a Apollo para o espaço, queimou oxigênio líquido e querosene, criando uma nuvem de fogo dramaticamente. O módulo lunar, por outro lado, foi impulsionado por uma mistura de tetróxido de nitrogênio e Aerozine 50, que não fazia a combustão visível. Seus gases de exaustão eram transparentes.

Fotografia: Nasa

Cético:

O espaço está cheio de estrelas, então por que elas não aparecem nas fotos tiradas na lua?

Crente: Os astronautas estavam tirando fotos de objetos brancos brilhantes e bem iluminados. Nessas condições, os fotógrafos fotografam com um tempo de exposição rápido e pequena abertura. Isso torna impossível capturar objetos fracos em um fundo escuro, como estrelas.

Fotografia: Nasa

Cético:

Uma senhora australiana chamada Una Ronald viu uma garrafa de coca chutada na lua durante o pouso da Apollo 11. Quão descuidado! Deve ter sido filmado em um estúdio. 

Crente : Por onde começar?  se ela viu algo que o resto do mundo que assistia não percebeu e do qual nenhuma evidência sobreviveu, é improvável que esta coca seja verdadeira.

Fotografia: Nasa

Cético:

A Nasa pode acabar com todas as alegações de conspiração lunar amanhã, usando o Telescópio Espacial Hubble para tirar fotos do equipamento deixado para trás. Mas é claro que não. Eu me pergunto por que não?

Crente: Embora o Hubble tenha enviado de volta imagens surpreendentes dos confins do universo, as galáxias, supernovas e nebulosas que ele revelou têm uma coisa em comum: são muito, muito grandes. O maior pedaço de lixo feito pelo homem na lua é o que resta do módulo de pouso Eagle, com cerca de 10 m de diâmetro. É muito pequeno para o Hubble ver. Ainda acredita que os pousos na lua foram fingidos?

Fotografia: Nasa

Referência: Space.

© 2020, Esfera Ciência . Todos os direitos reservados. É permitida a copia da matéria desde que o link do artigo seja citado.